Jure Makovec / AFP
Jure Makovec / AFP

Estátua de Melania divide seu povoado na Eslovênia

Muitos dizem que obra, entalhada em uma árvore com uma motosserra, parece um espantalho

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de julho de 2019 | 20h17

SEVNICA, ESLOVÊNIA - Depois do pastel da Melania, mel da Melania e até sapatilhas da Melania, a cidade natal da primeira-dama americana terá agora a primeira estátua de sua filha mais famosa, que já causa polêmica.

A estátua em tamanho natural no arredores de Sevnica foi inaugurada nessa sexta-feira (5) e é obra do artista conceitual americano de 39 anos Brad Downey, que garante que esse é o primeiro monumento no mundo dedicado à mulher do presidente americano, Donald Trump.

A obra foi esculpida em uma árvore com motosserra e mostra a primeira-dama vestida de azul levantando a mão esquerda, reproduzindo o gesto que Melania fez durante juramento de seu marido em 2017. A escultura, realizada no estilo naif, provocou críticas que dizem, por exemplo, que parece um "espantalho".

"Posso entender que as pessoas pensem que não se aproxima muito de sua aparência física", disse Downey em entrevista à AFP, afirmando que acha o resultado "absolutamente lindo".

Desde que Trump assumiu como presidente dos EUA,  em 2017, a tranquila Sevnica se transformou em um ímã para turistas e jornalistas em busca do passado da primeira-dama americana. 

Os comerciantes locais aproveitam esse interesse para oferecer uma incrível quantidade de produtos alimentícios e mercadorias com o nome de Melania, assim como um passeio pelos locais onde passou seus primeiros anos de vida.

Downey encomendou a estátua como parte de um projeto para explorar as raízes eslovenas e delegou a tarefa para o artesão local Ales Zupevc, que fez a escultura.

Ninguém se animou em manifestar elogios à obra.

Nika, estudante local de arquitetura de 24 anos, disse que "se o monumento quer ser uma paródia, aí sim o artista teve sucesso".

"Aqui em Sevnica podemos apenas rir e colocar as mãos na cabeça pela catastrófica reputação" dos Trump, diz.

Katarina, de 66 anos, diz que o monumento é uma "boa ideia". "Melania é uma heroína eslovena, conseguiu chegar ao ponto mais alto dos Estados Unidos." / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.