Estátuas de faraó são roubadas do Museu do Cairo durante crise no Egito

Pelo menos 18 peças foram furtadas e 70 foram danificadas

AE, Agência Estado

13 de fevereiro de 2011 | 10h51

 

 

 

CAIRO - Dezoito peças foram levadas do Museu Egípcio, no Cairo, durante o período de manifestações, segundo informou hoje o ministro de Antiguidades do Egito, Zahi Hawass.

 

Veja também:

especialInfográfico: A lenta agonia de Hosni Mubarak

blog Cronologia: O dia a dia da crise egípcia

video TV Estadão:  Alegria nas ruas do Cairo

blogArquivo: A Era Mubarak nas páginas do Estado

lista Perfil: 30 anos de um ditador no poder

 

Cerca de 70 objetos já haviam sido encontrados danificados, mas até este domingo não se sabia se algum item havia desaparecido. Entre os objetos saqueados estão duas estátuas de madeira douradas do faraó Tutancâmon.

O ministro afirmou que policiais estão colhendo depoimentos de pessoas que foram presas desde a invasão do museu, no mês passado, para descobrir a origem dos saques e a localização da peças.

 

Os 18 dias de protestos que forçaram a renúncia do ex-presidente Hosni Mubarak ocorreram nas áreas em torno o museu, perto da Praça Tahrir. Em 28 de janeiro, saqueadores subiram por uma escada de incêndio para o teto do museu e entraram quebrando um telhado de vidro.

O Museu Egípcio é o mais importante do país. Sua coleção é composta por cerca de 130 mil objetos de antiguidades reencontradas em escavações. Entre as mais importantes estão artefatos das tumbas dos faraós e de membros da família real. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitoprotestosmuseurouboestátuas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.