AP Photo/Christian Bruna
AP Photo/Christian Bruna

Estatuetas de 4.500 anos são encontradas em centro de refugiados na Eslovênia

Fontes policiais acreditam que as peças foram transportadas por uma rede de tráfico de antiguidades

O Estado de S. Paulo

03 de março de 2016 | 16h27

ZAGREB - Duas esculturas sumérias, de 4.500 anos de antiguidade, foram localizadas em um centro de refugiados no leste da Eslovênia, informaram fontes policiais, que acreditam que elas foram transportadas por uma rede de tráfico de antiguidades.

"Em uma das tendas do centro de recepção de Gruskovje, a polícia encontrou, em 4 de novembro de 2015, várias estatuetas, figuras de idólatras que rezam e que foram abandonadas ali por pessoas desconhecidas", confirmou o porta-voz da direção de polícia de Maribor, Olham Sadl.

O Museu Nacional da Eslovênia, em Liubliana, que está guardando temporariamente as estatuetas, determinou que se tratam de obras de arte autênticas, feitas de alabastro na região onde hoje está localizada a Síria ou o Iraque e datadas da era pré-cristã, precisou Sadl.

A polícia acredita que se trata de um caso relacionado ao comércio ilegal de antiguidades do Oriente Médio.

A imprensa eslovena afirmou se tratarem de três estatuetas que pertencem à mais antiga civilização do mundo, a suméria.

Os objetos de arte foram encontrados em um centro de recepção perto da passagem Gruskovje-Macelj, na fronteira com a Croácia, por onde passaram milhares de refugiados do Oriente Médio que seguem rumo à Alemanha e a outros países do norte da Europa. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.