Estender inspeção dará mais tempo à solução política

O eventual prolongamento do prazo para as inspeções da Organização das Nações Unidas (ONU) no Iraque aumenta a chance de a questão iraquiana ser resolvida sem guerra mediante um acordo pelo qual Saddam Hussein abandonaria o poder em troca de imunidade irrestrita no país que o acolher comoexilado.Esta foi a tônica dos primeiros comentários de especialistasfranceses ao informe sobre as inspeções feito hoje ao Conselhode Segurança da ONU.Falando à Agência Estado, Atoine Sfeir, consultor doParlamento Europeu para questões do Oriente Médio, disse que oprolongamento do prazo permite os Estados Unidos, dentro dalógica do ataque inevitável, prepararem melhor suas futurasoperações militares, a começar pela maior aglutinação de tropasnas fronteiras iraquianas."O contingente de 120.000 homens que Washington estáconcentrando agora na área ainda não será suficiente para queuma intervenção maciça se faça em condições de segurançasatisfatória", disse Sfeir.Por sua vez, o analista Jean Guisnel, do Instituto Francês deRelações Internacionais e da revista Le Point, observou que oprolongamento do prazo aumentará a margem de manobra deWashington na busca de outros aliados para o ataque com "ummínimo de credibilidade na cena internacional, Grã-Bretanha àparte".Os dois especialistas acham, contudo, que Washington vai jogarcom mais força a carta da solução pacífica da questão, tentandoobter a renúncia de Saddam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.