Marta Pérez / EFE
Marta Pérez / EFE

Esther Morales, irmã de Evo Morales, morre de covid-19

Internada há uma semana com sintomas da doença, de acordo com o jornal La Patria de Oruro, ela não resistiu e faleceu na madrugada deste domingo, 16

Redação, AFP

16 de agosto de 2020 | 22h07

Esther Morales, a irmã mais velha do ex-presidente Evo Morales (2006-2019), morreu na madrugada de domingo na Bolívia, conforme informou o ex-representante no Twitter, enquanto a mídia local detalhou que ele havia vários dias hospitalizado por coronavírus.

"Acompanho toda a família nesses momentos de dor profunda Morales, meu cunhado Ponciano Willcarani, meus sobrinhos e netos pela morte de Ester, que era mãe de todos. Meus pêsames. Que ele descanse em paz", escreveu Evo Morales, que está na Argentina. 

"Por que tanto ódio, racismo e perseguição política me impedem de ver, pela última vez, minha única irmã. Para mim, Esther, era minha mãe. A história vai julgar", acrescentou.

O ex-presidente boliviano Jorge Quiroga, que mantém sérias diferenças políticas com Morales, expressou na mesma rede social suas condolências. "Perdemos mais de 4.000 bolivianos para o coronavírus devastador, que semeia dor sem distinção. Paz em seu túmulo", disse.

Esther Morales, de 70 anos, morreu de covid-19, segundo informou o jornal La Patria de Oruro, afirmando que ela foi internada com esta doença no dia 9 de agosto em um hospital na cidade andina de Oruro, sudeste da Bolívia, enquanto sua família tentava transferi-la para um centro médico com UTI (Unidade de Terapia Intensiva). 

A irmã agora falecida era vendedora de supermercados, casada e mãe de três filhos. Ela não chegou a entrar na política, apesar de seu desejo de se tornar primeira-dama, uma vez que Evo Morales não era casado. Porém o ex-presidente não permitiu tal função, embora muitas vezes ela o acompanhasse em suas viagens oficiais.

"Ele me acompanhou nos momentos mais difíceis, independentemente de represálias. Ela nunca ocupou um cargo público, embora no golpe de 2019 eles queimaram a casa dela e a perseguiram", publicou Morales,  lamentando não poder se despedir dela. 

Com uma população de 11 milhões, a pandemia covid-19 deixou 99.146 contágios e pouco mais de 4 mil mortos na Bolívia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.