Estiletes passam despercebidos pela segurança dos aeroportos

O chefe da Agência de Segurança de Transporte, James Loy, reconheceu hoje que há falhas no controle de segurança dos aeroportos, inclusive nas máquinas de raios-X, que não podem detectar estiletes colocados em certas posições.?Não discuto o fato de que podem passar estiletes sem que sejam detectados pelo sistema, se colocados de uma maneira lateral?, diz Loy. ?É uma questão que depende da tecnologia mais que da capacidade de quem fiscaliza.?Funcionários do governo crêem que os terroristas utilizaram estiletes, no dia 11 de setembro, para seqüestrar os quatro aviões que derrubaram nos Estados Unidos: dois contra as torres do World Trade Center, um contra o Pentágono e um quarto que caiu na Pensilvânia. Loy diz que a agência se concentra na pesquisa e desenvolvimento de tecnologia mas acrescentou que seu orçamento de US$ 75 milhões foi bastante reduzido com o objetivo de reduzir seu déficit.O Escritório Geral de Controladoria (GAO) informou, esta semana, que a agência não tem dado atenção suficiente à atuação dos encarregados de segurança nos aeroportos. Loy afirma que o órgão, embora mais concentrado em avaliar o sistema como uma entidade, também dedica-se a programas de treinamento. E relaciona as melhorias em artifícios de segurança feitas pela agência tias como reforço nas portas das cabines de piloto e verificação dos antecedentes dos controladores de vôo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.