Estrada para local de epicentro do tremor é reaberta na China

Governo pede detectores de movimento humano e outros materiais que ajudem no resgate das vítimas

Efe,

15 de maio de 2008 | 06h14

A rodovia que leva à localidade de Wenchuan, onde foi registrado o epicentro do terremoto da segunda-feira, foi aberta nesta quinta-feira, 15, para caminhões militares e maquinaria pesada. Nenhum veículo civil foi autorizado a trafegar por essa rodovia entre a cidade de Mianyang e o distrito de Beichuan, e os jornalistas tiveram de seguir a pé para cobrir a devastação causada pelo terremoto de magnitude de 7,8 graus na escala aberta de Richter. As autoridades acreditam que cinco mil pessoas podem ter morrido em Beichuan, enquanto um número ainda desconhecido está soterrado sob os escombros da catástrofe. Os jornalistas tiveram de caminhar por horas pela estrada junto a centenas de pessoas que tentam chegar ao distrito com a esperança de encontrar familiares. Enquanto isso, continua em grande velocidade a reconstrução de outra das estradas que leva a Wenchuan. Pedido de ajuda O Governo chinês fez um pedido público de emergência para conseguir aparelhos detectores de movimento humano e outros materiais que ajudem no resgate das vítimas. Em seu comunicado, divulgado pela agência de notícias Xinhua, publicou uma lista de 31 tipos diferentes de equipamentos e ferramentas, que inclui ferramentas de demolição, guindastes e botas de borracha. Os 50 mil efetivos que trabalham na região do tremor estão usando suas próprias mãos para retirar os escombros sobre as vítimas que permanecem soterradas, o que faz com que o pedido seja de máxima urgência. A China sofreu na segunda-feira o pior terremoto em três décadas, com uma intensidade de 7,9 graus na escala aberta de Richter e que até o momento deixou 15 mil mortos e 40 mil soterrados ou desaparecidos.

Tudo o que sabemos sobre:
terremotoChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.