Estrangeiros são seqüestrados em petroleiro na Nigéria

Um grupo de homens armados seqüestrou um americano e um britânico que trabalhavam num navio petroleiro pertencente à companhia norueguesa Petroleum Geo-Services (PGS) nesta madrugada, no Estado de Bayelsa, sul da Nigéria, informou a empresa em comunicado. "Pouco depois da meia-noite, dois empregados da PGS foram seqüestrados por um grupo de homens armados do navio HD Commander enquanto este ancorava perto da plataforma petrolífera Funiwa, no Estado de Bayelsa", diz a nota. Segundo a PGS, os seqüestradores utilizaram embarcações na operação. A empresa norueguesa, especializada em tecnologia e serviços geofísicos para a indústria de petróleo, está fazendo "todo o possível por resolver a infeliz situação, mobilizou sua equipe para emergências e está recebendo ajuda de outros especialistas". Em seu comunicado, a PGS informou que não recebeu nenhuma exigência dos seqüestradores e espera poder fazer contato em breve. A companhia, que trabalha em 15 jazidas minerais em águas nigerianas, afirmou que está "coordenando o trabalho para encerrar a situação rapidamente e com sucesso". Nenhum dos outros trabalhadores do navio se feriu durante o seqüestro, disse a PGS. Esta ação é a última de série perpetrada por grupos armados nigerianos que reivindicam uma maior participação social nos lucros obtidos pelas petrolíferas estrangeiras e pelo Estado. As ações armadas interrompem freqüentemente a produção de petróleo no país, sexto exportador mundial do produto, e podem afetar os preços.

Agencia Estado,

02 Novembro 2006 | 09h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.