Estrôncio radioativo é achado em Fukushima

A Tokyo Electric Power Company (Tepco), que administra a usina nuclear de Fukushima, no Japão, anunciou ontem a descoberta de estrôncio radioativo no mar perto do complexo. Segundo a empresa, o nível de estrôncio-90 é 53 vezes superior ao nível de segurança determinado pelo governo. Os especialistas advertem que o estrôncio, produzido na fissão dos átomos de urânio e cuja vida média é de 29 anos, pode causar câncer ósseo e leucemia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.