Estudante abre fogo em escola alemã e mata 18

Um estudante revoltado por ter sido recentemente expulso de uma escola voltou hoje ao estabelecimento na cidade alemã de Erfurt e matou pelo menos 17 pessoas, além de ferir outras seis. Com a aproximação de policiais, o atacante, que portava duas armas, se matou.Segundo a polícia, entre as vítimas estão 10 estudantes do sexo masculino e 7 do sexo feminino - duas seriam crianças. A polícia não confirmou informações anteriores de que havia um segundo atirador.Ao mesmo tempo, policiais informaram que os 180 estudantes que haviam permanecido no ginásio Johann Gutenberg foram retirados do local com segurança.Logo depois do massacre, franco-atiradores e policiais das forças de elite invadiram o prédio do ginásio, em meio a relatos de que um segundo atirador estaria trancado em uma sala com reféns.Cerca de 750 alunos, com idades entre 10 e 19 anos, estão matriculados na instituição, mas a maioria conseguiu sair do prédio quando os tiros começaram."Ouvi os tiros e pensei que fosse uma brincadeira", contou Melanie Steinbrueck, de 13 anos. "Mas depois vi um professor morto no corredor, em frente à sala 209, e um homem, todo vestido de preto, segurando uma arma".Juliane Blank, também de 13 anos, acrescentou que o jovem pistoleiro usava luvas e bonés pretos. "Ele deve ter aberto a porta sem que ninguém percebesse e entrou na sala de aula. Saímos correndo... Simplesmente queríamos fugir", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.