Nathan Weber/NYT
Nathan Weber/NYT

Estudantes de Chicago voltam às aulas após fim de greve

Movimento chega ao fim após nove dias de paralisação

AE, Agência Estado

19 de setembro de 2012 | 13h01

CHICAGO - Centenas de milhares de alunos da rede pública de ensino de Chicago retornavam às aulas na manhã desta quarta-feira, 19, após nove dias de greve de professores. A paralisação dos professores de Chicago foi a primeira na cidade em 25 anos. Também foi a primeira greve do gênero em uma grande cidade dos Estados Unidos em seis anos.

Chicago é o terceiro maior distrito escolar dos EUA. Cerca de 350.000 alunos estão inscritos na rede pública da cidade. Os professores de Chicago estão entre os mais bem pagos dos EUA, mas um crescente movimento de reformas e cortes no orçamento do ensino norte-americano tem minado a influência da categoria no país.

O Sindicato dos Professores de Chicago (Illinois) votou na noite de ontem pelo fim da greve depois de seus representantes terem conseguido negociar um novo contrato coletivo de trabalho. O contrato ainda terá de ser submetido à aprovação dos 25 mil professores sindicalizados.

A paralisação dos professores em Chicago tem impacto político simbólico. O prefeito da cidade é Rahm Emanuel, ex-chefe da Casa Civil do presidente Barack Obama, e foi em Chicago que Obama, nascido no Havaí, fez sua carreira política. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAChicagogrevefim

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.