Estudantes dos EUA pedem resposta não violenta

Estudantes marcharam em vários campi através dos Estados Unidos, criticando a guerra e conclamando os líderes norte-americanos a evitarem uma resposta militar aos ataques terroristas de 11 de setembro.A mensagem dos milhares de manifestantes era a mesma: "Justiça sem violência e sem vingança". "Por quatro dias não parei de chorar", afirmou Satya Bycock, do Colégio Lews & Clark, da cidade de Oregon, sobre os atentados contra o World Trade Center e o Pentágono. "Mas o círculo de violência não pode continuar." "A guerra também é terrorismo", diz um comunicado assinado por estudantes da Universidade de Harvard. "Nerds contra a guerra", lia-se em uma faixa colocada na frente do Massachusetts Institute of Technology. Dan Hooper, um reservista do exército de 24 anos, participou de uma manifestação pela paz na Universidade de Wisconsin, carregando um cartaz que dizia: "A guerra mata civis, não terroristas". Outras manifestações foram realizadas em centenas de instituições de ensino dos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.