Estudantes franceses saem às ruas contra Le Pen

Pelo menos 200 mil pessoas, na maioria estudantes, participaram nesta quinta-feira, em diversas cidades francesas, de protestos contra o líder da extrema-direita francesa Jean-Marie Le Pen, que vai disputar no dia 5 o segundo turno das eleições presidenciais francesas com o presidente Jacques Chirac, candidato à reeleição.Os protestos começaram no domingo, quando Le Pen ficou em segundo lugar no primeiro turno das eleições, derrotando o primeiro-ministro socialista Lionel Jospin. Milhares de estudantes "decretaram" feriado escolar para sair às ruas de Nantes, Brest, Vannes, Lille, Lyon, Grenoble, Toulouse, Cannnes e Ajaccio em marchas contra "o fascista Le Pen".A maior concentração ocorreu diante da Universidade de Nantes. Uma multidão de mais de 15 mil jovens agitava cartazes chamando o ultradireitista de "racista" e "xenófobo" e gritava: "Votem para parar Le Pen" e "Somos todos filhos de imigrantes".Grupos de direitos humanos e partidos políticos de orientação esquerdista convocaram uma grande concentração anti-Le Pen para o fim de semana nas principais cidades do país. Em nota conjunta, os grupos classificam como "vergonha nacional" a presença do líder da xenófoba Frente Nacional no segundo turno das eleições presidenciais."Isso é uma ameaça às liberdades públicas, aos direitos sociais, aos direitos da mulher e aos direitos dos imigrantes", destacam os ativistas e políticos.O maior protesto, no entanto, é aguardado para o 1º de Maio. Os partidos políticos e sindicatos esperam reunir mais de 1 milhão de pessoas só em Paris - na área da Bastilha e da Praça da República. Le Pen também convocou os simpatizantes para uma concentração de apoio à sua candidatura diante da Ópera de Paris.A polícia teme choques entre adeptos das duas partes e pretende mobilizar cerca de 20 mil homens. O presidente Jacques Chirac pediu calma aos eleitores. "Sejam determinados na rejeição à extrema-direita, mas de modo digno e razoável", disse o presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.