Estudantes invadem lanchonete norte-americana no Líbano

Revoltados manifestantes antiguerratentaram invadir uma lanchonete de uma rede norte-americana nonorte do Líbano nesta quarta-feira, o que levou a um choquecom a polícia que resultou em pelo menos dez pessoas feridas. Este foi o mais recente choque em meio a uma série deprotestos quase diários nos países do Oriente Médio desde queEstados Unidos e Grã-Bretanha começaram a atacar o Iraque. Em Beirute, os manifestantes carregaram fotos de prisioneirosde guerra dos Estados Unidos. No Bahrein, no Golfo Pérsico, cerca de 400 pessoas sentaram-seem frente à Embaixada dos Estados Unidos para uma manifestaçãopacífica. Cerca de 30 mulheres realizaram um protesto semelhanteem frente ao escritório da Cruz Vermelha em Damasco, Síria. Mais de 4.000 estudantes reuniram-se no campus da Universidadedo Cairo, a mais antiga faculdade pública do Egito, mas a tropade choque impediu que eles fizessem uma passeata até a PraçaGizé. No Irã, centenas de familiares de vítimas da Guerra Irã-Iraque(1980-1988) manifestaram-se hoje em frente ao escritório daOrganização das Nações Unidas (ONU) em Teerã, informou a estatalTV Teerã. Os manifestantes denunciaram a campanha militar liderada pelosEstados Unidos e manifestaram apoio à "inocente naçãoiraquiana". Em Trípoli, norte do Líbano, cerca de 40.000 estudantesprotestaram pacificamente contra a guerra. Algumas horas maistarde, quando os manifestantes começavam a se dispersar, cercade 200 pessoas invadiram uma lanchonete pertencente à rede KFC,mas logo foram contidas pela polícia. Os estudantes atiraram pedras. A polícia respondeu com canhõesd´água e tiros para o alto. Dez pessoas ficaram levementeferidas no choque. No centro de Beirute, cerca de 5.000 pessoas marcharam da Casadas Nações Unidas até a Embaixada da Grã-Bretanha para protestarcontra Estados Unidos, Israel e o governo britânico. Uma faixacontinha fotografias de três prisioneiros de guerranorte-americanos mostrados pela televisão estatal iraquiana. Cerca de 2.000 pessoas protestaram também em Joub Jannine, nosul do Líbano. Alguns manifestantes queimaram uma bandeira deIsrael e uma fotografia do presidente dos EUA, George W. Bush,na praça principal da cidade. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.