Estudantes italianos voltam a protestar contra cortes na educação

Alunos e professores alegam que novas leis dão muita inluência ao setor privado

Associated Press

30 de novembro de 2010 | 11h15

Contra os cortes. Jovens organizam passeata em Roma.

 

ROMA - A polícia italiana teve de intervir nos protestos estudantis que tomaram o centro de Roma nesta terça-feira, 30, para impedir que os manifestantes chegassem à sede do Parlamento.

 

Os parlamentares votam nesta terça uma contestada reforma da educação que os estudantes e professores dizem que darão ao setor privado muita influência e envolvimento no sistema público de ensino universitário. Segundo eles, os cortes no orçamento para a educação reduzem o número de vagas para os universitários.

 

Protestos similares ocorrem em outras cidades importantes do país, como Milão, Turim, Nápoles, Veneza, Palermo e Bari. Em Gênova, os estudantes gritam "Eles bloqueiam nosso futuro, nós bloqueamos as cidades".

 

A ação da polícia em Roma impediu que os manifestantes tomassem a praça da Câmara dos Deputados e bloqueassem rotas de ônibus e outros veículos públicos. Poucos e breve enfrentamentos foram registrados em outros locais da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.