Estudantes ocupam embaixada do Brasil em Caracas

Três estudantes venezuelanos acorrentaram-se à Embaixada do Brasil em Caracas, hoje, para pedir ao país vizinho que sirva de mediador para que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, permita a visita de uma comissão para avaliar a situação dos direitos humanos e de supostos "presos políticos".

AE-AP, Agencia Estado

05 de outubro de 2009 | 21h16

O protesto ocorre cinco dias depois de 163 universitários de 11 cidades venezuelanas terem encerrado uma greve de fome de 155 horas de duração para pedir que o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, intercedesse para que o governo venezuelano aceitasse uma visita da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH).

Hoje, os manifestantes acorrentaram-se durante sete horas diante da embaixada brasileira. Eles deixaram o local depois de entregarem um documento no qual pediam ao presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, que "se interesse pelo destino" de 39 opositores detidos por delitos como perturbação da ordem pública, lesões graves a policiais e incitação ao crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.