Estudantes ocupam escolas no Chile

A tropa de choque da polícia chilena reprimiu nesta terça-feira uma nova onda de protestos protagonizada por estudantes chilenos. Centenas de estudantes secundaristas ocuparam escolas e bloquearam o tráfego de veículos em Santiago para exigir melhoras no sistema educacional.

AE, Agência Estado

14 de agosto de 2012 | 16h14

As escolas começaram a ser ocupadas pelos estudantes logo pela manhã. As ocupações foram seguidas de passeatas por importantes avenidas de Santiago e de cidades próximas da capital chilena. Não há informações iniciais sobre vítimas da repressão policial.

O prefeito de Santiago, o conservador Pablo Zallaquett, ameaçava suspender as bolsas concedidas aos estudantes que participam da ocupação das escolas. A ameaça do prefeito foi respaldada pelo ministro da Educação do Chile, Harald Bayer.

Já o prefeito de La Granja, Claudio Arriagada, qualificou a ameaça de Zallaquett como "uma aberração", uma vez que as bolsas de estudo não seriam administradas pela prefeitura.

Na semana passada, a polícia chilena fez uso de canhões d''água para dispersar uma manifestação por educação grátis da qual participavam milhares de pessoas.

Os novos protestos derivam de problemas não resolvidos no ano passado. Apesar de sete meses de manifestações e ocupações de escolas e campi universitários, o governo chileno não passou da promessa de reformar o sistema educacional.

Os estudantes exigem educação gratuita e de qualidade e o fim do lucro dos estabelecimentos educacionais que recebem dinheiro do Estado. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Chileprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.