Estudantes protestam em Táchira contra decição da Justiça venezuelana

Tribunal Supremo de Justiça considerou legal adiamento de posse e juramentação do presidente Hugo Chávez

estadão.com.br,

10 de janeiro de 2013 | 15h43

TÁCHIRA - Estudantes venezuelanos protestaram em Táchira contra uma suposta violação da Constituição do país com a decisão do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ), que considerou legal o adiamento de posse do presidente Hugo Chávez, que está em Cuba para tratamento de um câncer na região pélvica.

De acordo com o canal Globovision, estudantes da Universidad de Los Andes (ULA) realizavam manifestações nas ruas e entraram em confronto com integrantes da Guarda Nacional Bolivariana (GNB) e policiais da região. Duas pessoas teriam ficado feridas e uma teria sido presa.

A presidente do TSJ, Luisa Estella Morales, anunciou quarta-feira, um dia antes da data de posse presidencial, que a Sala Constitucional da corte não considerou imprescindível a cerimônia de posse e a juramentação do presidente Chávez para a renovação de seu mandato. "Apesar de no dia 10 se iniciar um novo período, não é necessária uma nova tomada de posse do presidente Hugo Chávez."

A oposição venezuelana contestou a decisão da corte e o grupo Bloco Parlamentario convocou protestos de rua para o dia 23. Por seu lado, o candidato presidencial derrotado por Chávez em outubro e governador de Miranda, Henrique Capriles, pediu para os representantes de governo que estão em Caracas, que não compareçam às cerimônias oficialistas que substituem a cerimônia de posse nesta quinta-feira

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.