Estudantes protestam por valorização de diplomas na Argélia

Grupo pede anulação de decreto presidencial que determina mudanças no sistema de educação

Efe

16 de fevereiro de 2011 | 14h18

ARGEL - Mais de mil estudantes promoveram uma manifestação diante do Ministério da Educação Superior nesta quarta-feira, 16, na capital da Argélia para protestar de forma pacífica contra um decreto presidencial que, segundo eles, desvaloriza seus estudos e títulos acadêmicos.

 

Veja também:

especial Infográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

mais imagens Galeria de fotos: Veja imagens dos protestos

 

Os estudantes, procedentes de oito escolas superiores do país e da universidade de Boumerdès, levavam cartazes e gritavam palavras de ordem contra a desvalorização de suas titulações. "Escolas superiores, diplomas inferiores", "SOS, engenheiros em perigo" e "Não aceitaremos ser pisoteados", eram alguns dos dizeres.

 

Os estudantes reivindicam a anulação do decreto presidencial, que determina mudanças em titulações e revisa o regime de remuneração dos professores. Eles também pedem a volta ao sistema clássico de estudos.

 

Representantes da população entregaram um documento com suas reivindicações aos responsáveis do Ministério da Educação Superior, no qual também reivindicam um status especial para as grandes escolas superiores do país que garanta a valorização de seus diplomas.

 

Na Universidade de Laghouat, centenas de estudantes também protestaram nesta quarta-feira contra o decreto presidencial e se declararam em greve, segundo o jornal El Watan. Por outro lado, o sindicato argelino de ensino médio e técnico Cnapest convocou para o dia 2 de março uma greve em todo o país para reivindicar aumento dos salários e melhores condições de trabalho para os professores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.