Estudantes retomam protestos por TV na Venezuela

Centenas de estudantes voltaram às ruas de Caracas hoje, em protesto contra o governo, que determinou a suspensão do sinal de TV a cabo da Radio Caracas Televisão (RCTV), emissora que se opõe ao governo do presidente venezuelano Hugo Chávez.

AE-AP, Agencia Estado

26 de janeiro de 2010 | 17h39

O presidente da Federação de Centros Universitários da Universidade Central da Venezuela, Roderick Navarro, disse hoje ao canal de notícias "Globovisión" que os estudantes continuarão protestando contra Chávez.

Hoje, o governador do Estado de Mérida, na Venezuela, disse que dois jovens morreram nos protestos que irromperam ontem no país. O governador Marcos Díaz afirmou que um jovem foi morto a tiros em Mérida. O outro também foi morto a tiros em Mérida em meio a confrontos com polícia, estudantes contrários a Chávez e partidários do governo. Os confrontos ocorreram na segunda-feira e pelo menos 16 pessoas ficaram feridas.

Os estudantes estão furiosos com a decisão de Chávez de ordenar a suspensão do sinal da RCTV. A empresa desafiou novas regulamentações que exigem aos canais privados exibir programação estatal, incluídos alguns dos discursos de Chávez.

Díaz disse à agência de notícias estatal "ABN" que um dos jovens mortos em Mérida é um estudante do ensino médio chamado Jossimir Carrillo Torres. Nove policiais ficaram feridos.

Com informações da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.