ANDREAS SOLARO / AFP
ANDREAS SOLARO / AFP

Estudo mostra que coronavírus circulava em Milão e Turim desde dezembro

País teve mais de 34 mil mortes decorrentes da pandemia de covid-19 e detectou oficialmente o primeiro caso em 21 de fevereiro

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2020 | 10h20

Um estudo das águas residuais das duas cidades mais importantes do norte da Itália, Milão e Turim, mostrou que o coronavírus já circulava na região desde dezembro de 2019. 

A análise foi realizada pelo Instituto Italiano de Saúde (ISS) em águas residuais coletadas antes de o primeiro caso no país ser oficialmente detectado em 21 de fevereiro de 2020. O estudo examinou 40 amostras de águas residuais coletadas entre outubro de 2019 e fevereiro de 2020 e 24 amostras de controle entre setembro de 2018 e junho de 2019, permitindo que a presença do vírus fosse excluída com segurança antes de dezembro. 

Os resultados, confirmados em dois laboratórios diferentes com métodos distintos, mostraram a presença do coronavírus nas amostras colhidas em Milão e Turim em 18 de dezembro de 2019 e em Bolonha em 29 de janeiro de 2020.

O relatório cita ainda que o mesmo ocorreu na França em dezembro de 2019 e também lembra um estudo espanhol indicando que traços do patógeno foram encontrados em águas residuais coletadas em janeiro, em Barcelona - cerca de 40 dias antes da notificação do primeiro caso na Espanha. 

O número total de pessoas mortas na Itália pelo coronavírus chegou a 34.514 e o de contágios totalizou 238.159.  / EFE 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.