Estudo mostra tendência maior de depressão na meia-idade

A meia-idade é mesmo uma época tristeda vida, segundo um estudo com dados de 80 países que mostrouque a depressão atinge mais homens e mulheres na faixa dos 40anos. Os pesquisadores britânicos e norte-americanos concluíramque a felicidade segue uma curva em forma de U: a vida começaalegre, depois fica difícil na meia-idade e retoma a felicidadena velhice. Estudos anteriores tinham mostrado que o bem-estarpsicológico permanecia constante ao longo da vida, mas a novapesquisa, que será publicada na revista Social Science &Medicine, sugere uma trajetória de altos e baixos. "De modo extraordinariamente regular pelo mundo as pessoaspassam por uma curva de felicidade e saúde mental em forma de Uao longo da vida", disse Andrew Oswald, na UniversidadeWarwick, da Grã-Bretanha, um dos líderes do trabalho, naterça-feira. Os pesquisadores analisaram dados sobre depressão, níveisde ansiedade e saúde e bem-estar mental de cerca de 2 milhõesde pessoas. Tanto para homens como para mulheres, a probabilidade dedepressão cresce e chega ao pico na faixa dos 40 anos -- umpadrão observado em 72 países, da Albânia ao Zimbábue --,segundo a pesquisa. "Acontece com homens e mulheres, com gentesolteira e gente casada, com ricos e com pobres, com quem temfilhos e com quem não tem", disse Oswald, que escreveu otrabalho junto com David Blanchflower, do Dartmouth College."Ninguém sabe por que vemos essa uniformidade." Uma possibilidade, segundo eles, é que nessa faixa etáriaas pessoas se dão conta de que não conquistaram muitas de suasaspirações. Outro motivo pode ser que, depois de começar a verseus contemporâneos de meia-idade morrerem, as pessoas passem avalorizar mais os anos que lhes restam, explicando a subida nonível de satisfação. A boa notícia é que, se as pessoas chegam aos 70 anos emboa forma física, em média são tão felizes e tão saudáveis emtermos mentais quanto um jovem de 20 anos. "Para as pessoas comuns no mundo moderno, a queda na saúdemental e na felicidade aparece devagar, não de repente, numúnico ano. Só na faixa dos 50 anos as pessoas ressurgem desseperíodo de baixa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.