Estudo prevê para a China o maior êxodo rural do mundo

Quase 300 milhões de camponeses chinesesemigrarão para as cidades nos próximos 20 anos, o que representará maior êxodo mundial deste tipo, segundo um estudo do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), divulgado nesta segunda-feira pela agência oficial de notícias Xinhua. Para o ano de 2010, a China contará com 125 cidades com mais de um milhão de habitantes e com 50 tendo mais de dois milhões, que sesomarão a outras já existentes, como Xangai e Pequim, com uma população de 17 e 15 milhões de habitantes, respectivamente. Apesar de o crescimento constante desde os anos 80, a contribuição econômica dos centros urbanos chineses para a economia nacional é muito menor do que a média dos países desenvolvidos, jáque eles apresentam um crescimento exagerado. O problema, segundo o relatório, poderia ser resolvido se o país incluísse o controle do crescimento urbano entre suas estratégiasNacionais. No entanto, as autoridades chinesas apostaram em deter a grande brecha econômica existente entre o campo e a cidade, encorajando aemigração dos camponeses, a fim de reduzir a população rural e aumentar suas rendas. Cálculos da Academia Chinesa de Ciências Sociais mostram que a renda das famílias rurais este ano se situará em US$ 415 e a urbana em US$ 1.310, apesar de que em Xangai ou Pequim ela já esteja por volta dos US$ 4 mil. Entre 120 e140 milhões de camponeses emigraram para as cidades chinesas desde 1978, ano em que começou o processo de reforma e abertura econômica do país oriental.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.