Estudo revela expansão ilegal de assentamentos israelenses

Um relatório divulgado nesta sexta-feira, 6, informa que nove entre dez assentamentos israelenses ampliaram ilegalmente suas dimensões territoriais na Cisjordânia, onde os palestinos esperam construir seu Estado independente.De acordo com o grupo Paz Agora, que rastreia as construções israelenses na Cisjordânia, os assentamentos judeus invadem terras ilegalmente, sendo que na grande maioria das vezes suas próprias áreas permanecem vazias.De acordo com o relatório, 91% das áreas dos assentamentos "permanecem vazias, indicando que a expansão territorial demonstra um desejo de conseguir mais terra". Ainda segundo o documento, as autoridades israelenses fazem pouco para que sejam respeitados os limites territoriais dos assentamentos.Em resposta, Yishai Hollander, porta-voz do conselho Yesha de assentados, acusa o grupo Paz Agora de promover uma "campanha de mentiras". O porta-voz sustenta que os assentamentos não incluem nenhuma terra que pertença aos palestinos. Existem 122 assentamentos israelenses oficiais na Cisjordânia, ao lado de cerca de 100 não autorizados. Os palestinos reivindicam todo o território da Cisjordânia, ocupada por Israel desde a guerra de 1967, como base de seu futuro Estado independente.Vistas como um obstáculo para a paz, a política de assentamentos israelenses é alvo de críticas de grande parte da comunidade internacional.Shlomo Dror, porta-voz da administração militar israelense na Cisjordânia, não nega a expansão ilegal dos assentamentos, mas afirma que muitos dos casos denunciados pelo grupo Paz Agora já foram corrigidos. "Hoje nós temos mais controle, a posse de terra é checada, e tomamos as medidas legais quando se faz necessária", garantiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.