Estudo sobre deficientes nas Américas dá maior nota ao Brasil

Apenas cinco das 24 nações das Américas oferecem proteção e tratamento adequados aos cidadãos com deficiência, segundo relatório emitido por uma coalizão de grupos de defesa do deficiente e divulgado em reunião das Nações Unidas. Brasil, EUA, Canadá, Costa Rica e Jamaica foram considerados os ?mais inclusivos?, com o Brasil obtendo nota máxima dos seis critérios avaliados. Os EUA ficaram com cinco notas máximas.já Belize, Bolívia, El Salvador, Guatemala, Guiana, Honduras, Nicarágua, Paraguai e Suriname foram classificados como os ?menos inclusivos?. O relatório de 441 páginas do Relatório Regional para as Américas do Monitor Internacional de Direitos dos Deficientes foi lançado durante uma reunião de duas semanas do comitê da ONU que prepara um tratado de defesa dos direitos do deficiente.O relatório sobre os 24 países das Américas baseia-se em 11 questões sobre seis temas: apoio ao tratado da ONU, proteções na lei para os deficientes, oportunidades de educação e emprego, acessibilidade, serviços de saúde e habitação, e comunicações. Os EUA perderam pontos porque o governo Bush se opõe a um tratado global para proteger os direitos humanos dos deficientes, alegando que a questão deve ser tratada em escala nacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.