ETA diz que está disposta a abrir mão de violência

A organização terrorista basca ETA manifestou neste domingo, 8, em entrevista ao jornal "Gara" sua disponibilidade "para assumir compromissos firmes com um cenário de ausência de violência".A organização afirma na entrevista que "não consegue imaginar eleições sem a esquerda abertzale (patriota)", já que "expressaria o fracasso do processo".A Advocacia do Estado apresentou à Corte Suprema espanhola um processo solicitando que se impedisse a constituição do partido Abertzale Sozialisten Batasuna (ASB) porque, segundo sua opinião, trata-se de uma sucessão da ilegalizada Batasuna, considerada o braço político da ETA.O País Basco realiza em maio eleições municipais, como o resto das localidades espanholas.Na entrevista, a ETA reitera que "as chaves para resolver o conflito são a territorialidade e o direito de decidir".A organização terrorista mostra sua disposição de adotar os compromissos publicados em 24 de março do ano passado, data em que iniciou seu anunciado cessar-fogo, "inclusive a desativação de respostas pontuais em uma situação de cessar-fogo".No entanto, em 30 de dezembro, a ETA cometeu um atentado no aeroporto de Barajas, em Madri, no qual um carro-bomba causou a morte de dois imigrantes equatorianos.Ainda na entrevista, a organização assinala que "o processo, neste momento, está bloqueado, porque os partidos não alcançaram um acordo político".Além disso, acusa o Partido Socialista (no Governo na Espanha) e o Partido Nacionalista Basco de impor obstáculos a esse acordo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.