''Eu não sou um mostro'', diz garota

?Sei como é perder tudo?, afirma Ashley

The New York Times, O Estadao de S.Paulo

13 de março de 2008 | 00h00

Ela afirma que deixou um lar desfeito em New Jersey aos 17 anos e foi para Nova York trabalhar em clubes noturnos como cantora. Agora, aos 22 anos, está no centro do escândalo sexual que derrubou o governador Eliot Spitzer. Trata-se de Ashley Alexandra Dupre, de 22 anos. Spitzer, segundo documentos da Justiça, pagou US$ 4,3 mil por um encontro sexual com Ashley em 13 de fevereiro. Ela tem passado os últimos dias em seu apartamento alugado no nono andar de um edifício em Manhattan. Na noite de terça-feira, disse por telefone ao New York Times que tem dormido pouco por causa da pressão pelo escândalo. "Só não quero que me vejam como um monstro", disse Ashley, que não foi indiciada. "É um momento difícil. É complicado", acrescentou, com voz suave. Em sua página no site MySpace, ela diz que a música é sua maior paixão, citando Patsy Cline, Frank Sinatra, Celine Dion e Christina Aguilera entre suas influências. Ela conta que fugiu de casa, foi vítima de abuso, consumiu drogas, chegou a ficar sem dinheiro e sem teto. "Aprendi como é ter tudo e perder tudo", escreveu. "Mas consegui. Ainda estou aqui, e amo quem sou. Se eu nunca passasse por momentos difíceis, não seria capaz de apreciar os bons momentos. É clichê, mas sei que é verdade."Ela mudou seu nome legal em 2006, de Ashley R. Youmans para Ashley Rae Maika DiPietro, adotando o sobrenome de seu padrasto - "o único pai que conheci". Agora, usa o nome de Ashley Alexandra Dupre e disse ao New York Times que está pensando em voltar a viver com sua família em New Jersey.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.