EUA: 11 soldados em quarentena contra ebola na Itália

Onze militares dos Estados Unidos que retornaram da Libéria estão sendo mantidos em quarentena na cidade de Vicenza, na Itália, com forma de prevenir o contágio por ebola em outras regiões. Dentre eles está o major-general Darryl Williams, que atuava como comandante do Exército norte-americano na África.

Estadão Conteúdo

27 de outubro de 2014 | 14h33

De acordo com a CBS News, se o governo der continuidade a essa política, centenas de outros militares vindos da Libéria devem ser submetidos a um período de quarentena de 21 dias - tempo máximo de incubação do vírus. Outros trinta soldados devem chegar à Itália ainda nesta segunda-feira.

Ainda não há informações se os soldados tenham sido expostos ao vírus ou tenham apresentado sintomas da doença. Com a saída de Williams, o major-general Gary Volesky assumiu o comando das tropas na Libéria. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliaEUAmilitaresquarentenaebola

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.