EUA abrem investigação criminal da destruição de vídeos pela CIA

O Departamento de Justiça dosEstados Unidos afirmou na quarta-feira ter lançado umainvestigação criminal sobre a destruição, pela CIA, de fitas devídeo mostrando o duro interrogatório de suspeitos deterrorismo. "Há base para iniciar uma investigação criminal deste caso.Tomei medidas para iniciar essa investigação", disse osecretário de Justiça, Michael Mukasey, em um comunicadodivulgado pelo departamento. No mês passado, a CIA informou ter destruído em 2005centenas de horas de fitas de vídeo de interrogatórios de doissuspeitos de pertencer à rede Al-Qaeda. A revelação provocouprotestos de democratas, ativistas de defesa dos direitoshumanos e alguns peritos em legislação. Os interrogatórios, realizados em 2002, teriam incluído umtipo de simulação de afogamento, condenado internacionalmentecomo tortura. O presidente George W. Bush tem dito que os EUA nãotorturam, mas não quis ser mais específico sobre métodos deinterrogatórios. O Departamento de Justiça e o inspetor-geral da CIAlançaram no mês passado um inquérito inicial sobre as fitas. OCongresso também está investigando sua destruição. A CIA disse que iria "cooperar integralmente com estainvestigação, como fez em outras sobre este assunto." Mas oinspetor-geral da agência, John Helgerson, afirmou que iriaficar fora da investigação abrangente. Helgerson disse que seu escritório examinou as fitas"alguns anos atrás" como parte de uma revisão dosinterrogatórios da agência e que ele ajudou a preparar umrelatório sobre o caso, por isso não seria adequado envolver-sena investigação. Mukasey informou ter pedido a um promotor federal deConnecticut, John Durham, que lidere a investigação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.