EUA acham túnel usado pelo crime na fronteira mexicana

Autoridades norte-americanas suspeitam que o cartel de Sinaloa é o responsável por dois longos e sofisticados túneis descobertos este mês ligando o México aos EUA. A passagem subterrânea encontrada na quinta-feira, com 610 metros, é similar a uma outra achada no início do mês. Ambas estavam equipadas com sistemas de ventilação, iluminação e transporte sobre trilhos, para que a droga fosse levada em um pequeno carrinho. No total, foram apreendidas 40 toneladas de maconha durante as investigações.

AE, Agência Estado

27 de novembro de 2010 | 15h52

Segundo o diretor de investigações da equipe de imigração e alfândega dos EUA em San Diego, Mike Unzueta, o grupo de Sinaloa é comandado por um dos homens mais procurados do México, Joaquim "El Chapo" Guzman. "Nós acreditamos que os túneis eram controlados pela mesma quadrilha, mas estavam sendo gerenciados por células diferentes", comentou. Não se sabe há quanto tempo os túneis estavam sendo usados. A investigação começou em junho.

O túnel encontrado na quinta-feira vai da cozinha de uma casa em Tijuana, no México, até dois armazéns no distrito industrial de Otay Mesa, em San Diego, nos EUA. Três homens foram presos nos EUA e o exército do México invadiu um fazenda e prendeu cinco suspeitos de envolvimento no caso.

Desde o início da década de 1990, as autoridades norte-americanas já descobriram mais de 125 túneis clandestinos na fronteira com o México, embora muitos ainda estivessem incompletos e nenhum fosse tão sofisticado como esses dois encontrados este mês. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Méxiconarcotráfico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.