EUA acompanham de perto a crise na Venezuela

O governo dos EUA está "acompanhando de perto" a situação na Venezuela, onde um grupo de oficiais se rebelou contra o presidente Hugo Chávez, disse o porta-voz do Departamento de Estado, Philip Reeker. "Como temos dito muitas vezes, os EUA apóiam uma solução pacífica, democrática e constitucional para as atuais dificuldades políticas na Venezuela", disse Reeker. O porta-voz assegurou que seu país "não apóia nenhum cenário inconstitucional ou violento?. Embora as notícias da imprensa de Caracas mostrem que os militares golpistas não conseguiram a quantidade de seguidores que esperavam para apoiar suas exigências, Reeker ofereceu uma versão diferente dos acontecimentos na capital venezuelana. Segundo ele, a Embaixada americana em Caracas tinha informação sobre uma "grande multidão" reunida na praça Altamira, onde os golpistas estão acampados. A Embaixada, acrescentou o porta-voz, "aconselhou os cidadãos americanos a evitarem passar por essa zona e acompanharem de perto os noticiários". Reeker disse também que os atores políticos venezuelanos "devem continuar seguindo o caminho" iniciado com a preparação da Declaração de Princípios elaborada com a mediação da Organização dos Estados Americanos (OEA), o Centro Carter e o Programa para o Desenvolvimento das Nações Unidas (Pnud).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.