EUA acreditam em retomada do diálogo de seis lados

O enviado americano reconhece que "poblemas técnicos"atrasam a transferência

Agencia Estado

19 Junho 2007 | 11h05

O negociador americano para o diálogo de seis lados sobre a desnuclearização da Coréia do Norte, Christopher Hill, afirmou neste sábado, 16, que as conversas podem ser retomadas em julho, se for completada a transferência do dinheiro norte-coreano depositado no Banco Delta Asia de Macau (BDA) para contas em bancos da Rússia. Hill, que se encontra na Mongólia, declarou à imprensa em Ulan Bator que parte do dinheiro norte-coreano no BDA já está no banco central russo, que se ofereceu como mediador para o problema financeiro. Falta apenas a transferência dos fundos para contas norte-coreanas em bancos privados da Rússia. O enviado americano reconheceu que "problemas técnicos" estão atrasando a transferência final. Dos US$ 25 milhões que estavam bloqueados no BDA, US$ 20 milhões chegaram à Rússia. O processo teve a mediação das autoridades financeiras americanas, que tinham impedido a movimentação das contas durante 18 meses, o que paralisou as conversas para o desarmamento nuclear. Hill disse que espera que o diálogo entre China, as duas Coréias, Japão, Rússia e EUA seja retomado em questão de semanas. Ele destacou que o próximo passo seria a entrada de inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) na Coréia do Norte. Os inspetores se encarregariam de verificar o fechamento do reator de Yongbyon, prometido pela Coréia do Norte em troca da devolução dos fundos e de ajuda energética. Os fundos haviam sido bloqueados pelo Tesouro dos EUA, num pedido expresso à Autoridade Monetária de Macau. Havia suspeitas de que eles tinham sido obtidos em operações de contrabando de armas e outras atividades ilegais entre a Coréia do Norte e outros países. A Coréia do Norte não parece ter reagido positivamente ao desbloqueio parcial do dinheiro esta semana. A agência oficial norte-coreana "KCNA" anunciou num comunicado que continuará desenvolvendo seus sistemas militares de "dissuasão" para se proteger da "atitude hostil" dos EUA. Hill viajará na próxima semana a Pequim e Tóquio Ele vai continuar os contatos para retomar o diálogo de seis lados, após quase três meses sem reuniões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.