EUA acusam crime organizado por saques no Iraque

Grupos ligados ao crime organizado que sabiam muito bem o que queriam saquearam os museus iraquianos e provavelmente já retiraram do país objetos de valor inestimável, disse o secretário de Justiça dos Estados Unidos, John Ashcroft, durante uma reunião da Interpol. Ashcroft fez a declaração durante uma conferência de peritos em arte e ministros da Justiça com o objetivo de elaborar uma lista das obras de arte e objetos históricos pilhados após a invasão do Iraque, liderada pelos EUA.Um dos principais pontos levantados na conferência de dois dias diz respeito ao que as autoridades internacionais ainda não sabem sobre a pilhagem - quem a realizou, como se deu e quantas peças ainda estão desaparecidas. No entanto, Ashcroft disse que os investigadores possuem indícios de que os saques foram um trabalho orquestrado por bandos organizados.As declarações de Ashcroft coincidem com as de funcionários do Museu Nacional de Bagdá, segundo os quais alguns dos saqueadores tinham chaves do museu e sabiam diferenciar uma obra original de uma réplica.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.