EUA acusam duas empresas libanesas de vínculos com o Hezbollah

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos adotou medidas contra duas empresas libanesas, apontadas como "depositárias não-oficiais dos fundos" da organização libanesa Hezbollah.Em comunicado, o Tesouro americano informou que as duas empresas são a Yousser Company for Finance and Investment e a Bayt al-Mal, liderada por Hussein al-Shami, um dos principais dirigentes da organização.De acordo com as punições impostas pelo Departamento do Tesouro, nenhum cidadão ou instituição americanos poderá fazer negócios com essas empresas ou indivíduos, cujos possíveis ativos nos EUA ficarão congelados.Segundo o Departamento, a Bayt al-Mal utiliza a outra firma para garantir empréstimos e financiar negócios em favor de empresas diretamente ligadas ao Hezbollah.As duas empresas "funcionam como depositárias não oficiais dos fundos do Hezbollah, guardando e investindo seus ativos e servindo como intermediários entre o grupo terrorista e os bancos comerciais", explicou o subsecretário do Tesouro para a luta contra o terrorismo, Stuart Levey.Segundo o Departamento do Tesouro, a Bayt al-Mal opera diretamente sob a supervisão do líder da milícia, Hassan Nasrallah.O Hezbollah está incluído na lista de organizações terroristas da União Européia (UE) e do Departamento de Estado americano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.