EUA acusam Iraque de atacar aviões da coalizão

O governo norte-americano criticou o Iraque nesta segunda-feira por disparos contra caças de combate de Estados Unidos e Grã-Bretanha que controlam duas zonas de exclusão aérea impostas a Bagdá."Com cada míssil lançado contra nossas missões aéreas, o Iraque expressa seu desrespeito às resoluções da ONU", disse o secretário de Defesa dos EUA, Donald H. Rumsfeld, durante coletiva concedida nesta segunda-feira no Pentágono.O Iraque disparou 67 vezes contra as patrulhas anglo-americanas desde que prometeu, há duas semanas, permitir o retorno ao país dos inspetores de armas da Organização das Nações Unidas, afirmou o general Richard Myers, chefe do Estado-Maior-Conjunto dos EUA.O Iraque nunca derrubou nenhuma aeronave da coalizão militar. Exasperado, Rumsfeld disse que o desejo iraquiano de colaborar com as inspeções de armas é "evidentemente falso". Segundo ele, o Iraque "já mentiu tantas vezes que ninguém deveria acreditar" no que o governo do presidente Saddam Hussein diz. "Fico aborrecido ao ver pilotos norte-americanos e britânicos sendo atacados dia após dia após dia, impunemente", esbravejou Rumsfeld. O Senado dos Estados Unidos trabalha atualmente no texto de uma resolução que permita ao presidente George W. Bush atacar o Iraque se necessário. O objetivo é evitar que o regime iraquiano tenha chance de utilizar armas de destruição em massa que supostamente estariam em seu poder. Os debates públicos sobre a resolução não deverão ser iniciados antes de quarta-feira, segundo fontes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.