EUA acusam o Irã de violar tratado nuclear

Os Estados Unidos acusaram o Irã de violar o Tratado de Não-Proliferação Nuclear, mas se mostraram dispostos - por enquanto - a dar "uma última chance" a Teerã para provar que não mantém um programa secreto de armas atômicas. Apoiado por aliados, o chefe da delegação dos EUA, Kenneth Brill, pediu ao Irã para se pronunciar sobre discrepâncias entre declarações anteriores a respeito de seu programa nuclear e um relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).O relatório, do chefe da AIEA, Mohamed El-Baradei, denunciou a descoberta de traços de urânio enriquecido próprio para a fabricação de armas em uma usina iraniana. "Os Estados Unidos acreditam que fatos já estabelecidos iriam justificar plenamente um julgamento de descumprimento por parte do Irã", afirmou Brill durante uma reunião da diretoria da agência da ONU. Ainda assim, continuou, os americanos estão prontos para dar ao "Irã uma última chance para acabar com evasões" antes de buscarem ações punitivas. Planos de exercer maior pressão sobre o Irã na reunião foram abandonados na semana passada depois que a administração do presidente dos EUA, George W. Bush, percebeu que não conseguiria apoio suficiente na conferência. A delegação dos EUA quer que seja aprovada uma resolução acusando o Irã de não cumprir o acordo - uma conclusão que levaria a questão para o Conselho de Segurança, que poderia impor sanções contra Teerã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.