AP Photo/Alex Brandon
AP Photo/Alex Brandon

EUA acusam União Europeia de desprezar ações do Irã 

No dia 8, o governo Trump anunciou que estava abandonando o acordo nuclear com a república islâmica

O Estado de S.Paulo

24 Maio 2018 | 19h50

WASHINGTON - O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, acusou nesta quinta-feira, 24, os europeus de não fazerem nada para controlar o desenvolvimento de mísseis balísticos do Irã. “Os europeus nos disseram que estavam preparados para controlar os mísseis e durante três anos, mas não fizeram nada”, disse Pompeo durante audiência na Comissão de Relações Exteriores do Senado. “Eles falaram que abordariam questões relacionadas ao terrorismo, mas também não fizeram nada.”

O presidente americano, Donald Trump, anunciou no dia 8 que os EUA estavam abandonando o acordo nuclear com o Irã, qualificando as condições impostas a Teerã como “muito brandas”.

Segundo diplomatas europeus e alguns funcionários de alto escalão do governo americanos, as negociações em torno das preocupações de Washington com relação a certas atividades iranianas, como mísseis balísticos e intervenção de Teerã na região, haviam obtido significativo avanço e estavam perto da conclusão quando Trump anunciou a retirada do acordo. Desde então, os outros signatários do pacto – França, Alemanha, Reino Unido, China e Rússia – têm tentado manter o acordo vivo.

Recentemente, Pompeo enumerou 12 pontos que deveriam ser considerados em um “novo acordo”, mas todas as outras partes envolvidas no pacto, incluindo o Irã, criticaram a iniciativa americana.

Paralelamente, Washington aumentou as sanções contra Teerã, punindo especialmente companhias aéreas acusadas de ligação com a Guarda Revolucionária. O Departamento do Tesouro dos EUA incluiu em sua lista nove indivíduos e entidades, no Irã e na Turquia, pela obtenção de equipamentos de aviação, incluindo algumas partes sensíveis fabricadas nos EUA. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Rússia Irã [Ásia] Mike Pompeo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.