EUA adiam votação sobre viagens a Cuba

O Senado americano adiou ontem para segunda-feira a votação do projeto de lei que inclui o relaxamento dos limites às viagens para Cuba. Como quem cuida das restrições à ilha é o Tesouro americano, o projeto foi incluído na proposta de lei prevendo US$ 410 bilhões para o orçamento. Ele prevê que os cubano-americanos com "parentes próximos" em Cuba poderão visitar a ilha uma vez por ano - e não mais uma vez a cada três anos. Além disso, permite que esses turistas gastem US$ 179 por dia (hoje o limite é de US$ 50) e amplia a definição do conceito de "parentes próximos", que passa a incluir tios e sobrinhos. A votação da medida foi adiada por discordâncias entre republicanos e democratas não só em relação à política para a ilha, mas também por outros temas do orçamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.