EUA admitem erro em bombardeio que matou soldados paquistaneses, diz jornal

Um inquérito militar dos EUA concluiu que soldados americanos e paquistaneses avaliaram erroneamente o alvo de um bombardeio que matou 24 militares paquistaneses no mês passado na fronteira com o Afeganistão, informou ontem o Wall Street Journal. Em nota divulgada após a publicação da reportagem, o Pentágono disse que uma "coordenação inadequada por parte de oficiais militares dos EUA e Paquistão" e "nossa confiança em um mapeamento incorreto... contribuíram para esse trágico resultado". Citando fontes oficiais dos EUA, o jornal disse que a investigação, a ser apresentada hoje às autoridades de Defesa dos EUA, admite uma responsabilidade significativa dos americanos no incidente de 26 de novembro, que agravou o clima de desconfiança entre Washington e Islamabad.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.