EUA admitem erro em libertação de acusado de massacre

Os militares americanos reconheceram ter libertado por engano um ex-oficial iraquiano acusado de envolvimento no assassinato de milhares de xiitas, e ofereceram uma recompensa de US$ 25.000 por informações que levem à sua recaptura. Segundo um comunicado do Comando Central dos EUA, as forças americanas libertaram Mohammed Jawad An-Neifus da prisão de Bucca, em Umm Qasr, no último dia 18, depois que surgiram dúvidas sobre sua verdadeira identidade.An-Neifus é suspeito de envolvimento no assassinato de milhares de xiitas iraquianos quando o ex-presidente Saddam Hussein combateu uma rebelião xiita no sul do Iraque no final da Guerra do Golfo, em 1991. Os restos mortais dos xiitas foram encontrados mais tarde em covas coletivas na cidade de Mahawil. An-Neifus foi primeiramente detido por fuzileiros americanos em uma área próxima à cidade de Al Hilla, em 26 de abril, e entregue à Polícia Militar do Exército três dias depois."As forças militares dos EUA são as únicas responsáveis por esta libertação equivocada e conduzem uma investigação para que isso não se repita mais", afirma o Comanda Central.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.