EUA admitem que ataque a Bagdá pode ter atingido civis

O Comando Central dos EUA em Catar admitiu que realizou um bombardeio hoje sobre Bagdá que pode ter causado vítimas civis. O Iraque havia denunciado que um bombardeio contra um mercado lotado na capital deixou pelo menos 14 civis mortos e dezenas de feridos.Num comunicado intitulado "As forças da coalizão atacam base de lançamento de mísseis em Bagdá: possíveis danos a civis", o Comando Central afirmou que aviões anglo-americanos utilizaram armas de precisão para atacar bases de mísseis terra-terra em Bagdá.Segundo o comunicado, os equipamentos militares foram colocados pelos iraquianos "dentro de uma área residencial civil... a menos de cem metros das casas"."Apesar de a coalizão estar fazendo o possível para evitar atacar civis e danificar estruturas civis, em alguns casos tais danos são inevitáveis, já que o regime coloca armas nas proximidades de áreas civis", explica o comunicado.Em WashingtonOficiais dos Estados Unidos negaram, no Pentágono, ter disparado deliberadamente contra alvos civis de Bagdá. Numa entrevista coletiva no Pentágono, o major general Stanley McChrystal garantiu que as forças americanas não alvejaram o bairro Al-Shaab. "Não disparamos bombas nem mísseis ali".O oficial disse, entretanto, que não é possível dizer se o que alvejou o bairro foram disparos antiaéreos iraquianos ou mísseis americanos que saíram de sua trajetória. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.