EUA admitem reunião de alto escalão com Cuba

WASHINGTON

, O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2010 | 00h00

O Departamento de Estado dos EUA confirmou ontem que o subsecretário para Assuntos Hemisféricos do Departamento de Estado, Arturo Valenzuela, encontrou-se com o chanceler de Cuba, Bruno Rodríguez.

A reunião, ocorrida no dia 24, enquanto os dois diplomatas participavam da sessão de abertura da Assembleia-Geral da ONU, em Nova York, tratou da prisão do americano Alan Gross em Cuba.

A conversa entre Valenzuela e Rodríguez é o encontro de mais alto escalão entre EUA e Cuba, desde a eleição do presidente Barack Obama. Gross, funcionário de 60 anos que, de acordo com os EUA, trabalha para agência de ajuda humanitária do governo americano, a Usaid, está detido há 11 meses na prisão cubana de segurança máxima de Villa Marista. Havana o acusa de espionagem.

Em um tímido sinal de abertura por parte do governo cubano, a mulher de Gross, Judy, foi autorizada a visitá-lo em agosto. Cheryl Mills, chefe de gabinete da secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, já havia se encontrado com o chanceler cubano para discutir o caso em março, quando os dois participaram de um encontro sobre doações às vítimas do terremoto no Haiti. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.