EUA admitem ter matado sete civis afegãos no sábado

O Exército dos EUA admitiu ter matado sete civis afegãos num suposto confronto com insurgentes no leste do Afeganistão, informou nesta segunda-feira o comando militar americano no país. As mortes aconteceram na noite de sábado, na província de Kunar, perto da fronteira com o Paquistão, quando patrulhas militares dos Estados Unidos enfrentavam supostos rebeldes afegãos. Duas amplas operações reunindo a coalizão encabeçada pelos EUA e forças afegãs estão sendo realizadas em Kunar e em Kandahar, no sul. As forças dos EUA receberam apoio aéreo e da artilharia. Uma caverna e uma casa, de onde os supostos insurgentes reagiam a tiros, foi bombardeada. O comunicado oficial explica que "as forças da coalizão levaram os feridos ao hospital da Equipe de Reconstrução Provincial de Asadabad rapidamente, para tratamento de emergência, e estão trabalhando com o Governo afegão para entregar os corpos dos mortos a suas famílias". "Nosso coração está com as famílias das vítimas inocentes desta batalha", disse o general americano Benjamin C. Freakley, comandante das tropas americanas, que ordenou uma investigação. Outro comunicado do pelo comando militar americano anuncia a abertura de outra investigação, sobre as baixas num confronto na sexta-feira, na província de Kandahar. A nota afirma que o "fogo amigo" pode ter atingido as tropas conjuntas do Exército afegão, da Polícia e das forças da coalizão, que enfrentaram um grupo de supostos insurgentes armados. Fontes oficiais afegãs informaram que, no confronto em Kandahar, morreram pelo menos 41 insurgentes e seis -policiais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.