EUA afirmam que Costa Rica é centro de lavagem de dinheiro

Um estudo da agência antidrogas dos Estados Unidos, a DEA, afirma que a Costa Rica se transformou em um centro de lavagem de dinheiro, segundo reportagem publicada pelo jornal costarriquenho Al Día. Segundo o estudo, traficantes de drogas da Colômbia e do México utilizam cassinos, contas bancárias, compras de imóveis e investimentos em restaurantes e na construção de centros comerciais para realizar suas operações ilegais na Costa Rica.As conclusões do documento levaram o Departamento de Estado dos Estados Unidos a incluir a Costa Rica na lista de "maior preocupação" por este tipo de delito.De acordo com Guillermo Hernández, do Instituto Costarriquenho Sobre Drogas, foi aprovada recentemente uma legislação que tipifica e castiga a atividade de lavagem de dinheiro. "Possivelmente no momento em que (o DEA) realizava o estudo, a lei ainda não havia sido promulgada. Com a nova legislação, estamos fazendo todos os esforços e contamos agora com uma excelente barreira de proteção nas instituições financeiras, através do modelo preventivo", disse Hernández ao jornal.Entre as maiores preocupações da DEA figura a operação de cassinos, tanto os instalados no país quanto os que funcionam pela internet. "Na Costa Rica há pelo menos 50 cassinos construídos e 60 cassinos online. Estas companhias proporcionam meios relativamente simples para a lavagem de dinheiro", destaca o estudo.O presidente da Associação de Empresas de Apostas Eletrônicas, Eduardo Agami, afirmou que todos os clientes e os depósitos recebidos são controlados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.