EUA afirmam ter matado 130 taleban no Afeganistão

Tropas da coalizão liderada pelos Estados Unidos mataram mais de 130 combatentes Taleban no Afeganistão nos últimos dias, disse a coalizão nesta segunda-feira, 30, mas milhares de afegãos protestaram dizendo que as vítimas eram civis. A ofensiva, com apoio aéreo, teve duas batalhas separadas na província de Herat no oeste do país, disse o Exército dos EUA em comunicado. As mortes provocaram protesto - o segundo em dois dias no país - contra o que moradores afirmam ser mortes de civis. A província de Herat, que faz fronteira com o Irã, era um lugar relativamente seguro em comparação com o sul e o leste, onde o Taleban está mais ativo. As duas batalhas aconteceram no vale de Zerkoh, ao sul do distrito de Shindand, onde tropas ocidentais têm uma grande base, e na província de Farah, mais ao sul. Foram mortos 87 combatentes Taleban durante 14 horas de batalha com forças lideradas pelos EUA e soldados do Afeganistão no domingo. Outros 49 Talebans, incluindo dois líderes, foram mortos dois dias antes, depois que um grupo de guerrilheiros disparou contra uma patrulha conjunta da coalizão com soldados afegãos em outra parte do vale. O comunicado não identificou os líderes do Taleban. O texto afirma que um soldado dos EUA foi morto, mas não diz se há vítimas entre forças afegãs. Não há registro de vítimas civis. O Taleban não pôde ser ouvido de imediato para comentar o tema. Não houve verificação independente das perdas do grupo, que seriam as mais pesadas deste ano. Manifestações Em Shindand, milhares de pessoas protestaram e invadiram a sede do governo distrital e uma base da polícia, dizendo que os mortos são civis, e não do Taleban. A polícia mandou reforços para conter os manifestantes e bloquear a entrada da base. Pelo menos 20 civis ficaram feridos por disparos da polícia, disseram moradores a um repórter da Reuters, por telefone. Farzana Ahmadi, porta-voz do governo de Herat, confirmou que a polícia disparou "tiros de advertência" para dispersar os manifestantes, mas disse que ninguém ficou ferido. Uma autoridade de Shindad disse que o protesto terminou e que forças do governo estão no controle da cidade. As manifestações aconteceram um dia depois dos protestos violentos na província de Nangahar, no leste, por causa das mortes de civis em ações da coalizão e de forças afegãs. Violência crescente A violência cresceu nas últimas semanas, depois da tradicional trégua de inverno. Quase 4.000 pessoas morreram no ano passado. Centenas, incluindo cerca de 30 soldados estrangeiros, foram mortos neste ano. Nas últimas três semanas, forças lideradas pelos EUA e afegãs mataram mais de 150 combatentes do Taliban e estrangeiros no sul de Helmand, disse a coalizão em outro comunicado. Já forças da Otan e afegãs continuam avançando nesta segunda-feira na Operação Aquiles, lançada no mês passado em Sangin, disse a aliança em comunicado. Diversas posições do Taleban foram destruídas, disse o texto. Na noite de domingo, um afegão que trabalhava para um grupo de ajuda ocidental foi morto a tiros no norte do país com membros do Taleban, disse a polícia. Um homem-bomba matou pelo menos um guarda afegão de uma empresa de segurança dos EUA e feriu outros três na província de Kandahar, no sul do país, nesta segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.