EUA afrouxam proibição sobre entrada de líquidos em aviões

O governo dos EUA está parcialmente afrouxando sua proibição contra a posse de líquidos e géis dentro de aviões, instituída depois que uma trama para explodir aeronaves indo aos EUA foi frustrada, disseram autoridades nesta segunda-feira."Sabemos o suficiente para dizer que uma total proibição não é mais necessária do ponto de vista de segurança", disse Kip Hawley, chefe da Administração Segurança de Transportes, em uma coletiva de imprensa no Aeroporto Nacional Reagan.Ele disse que a maioria de líquidos e géis que passageiros compram em áreas de segurança de aeroportos será permitida nos aviões. Ele chamou os novos procedimentos de abordagem de "bom senso" que manteria um alto nível de segurança em aeroportos, mas com melhores condições para passageiros.Isso significa que após passageiros passarem por pontos de checagem, eles podem comprar líquidos em lojas dentro do aeroporto e levá-los para seus aviões. Os novos procedimentos entram em enfeito na quinta-feira. Disse Hawley. O novo regime de segurança tem período indefinido.Procedimentos mais rígidos de checagem em aeroportos foram colocados em prática em agosto, depois que a polícia britânica frustrou uma trama terrorista para reunir e detonar bombas usando explosivos líquidos em aviões que cruzariam o Atlântico partindo da Inglaterra com destino aos EUA.Na época, o Departamento de Segurança Doméstica brevemente subiu o nível de ameaça para "vermelho", o mais alto, para vôos que chegavam da Inglaterra. Todos os outros vôos estavam no nível "laranja" e permanecerão neste nível - o segundo mais alto - por enquanto. Novos procedimentos também foram anunciados para cosméticos e produtos como gloss para os lábios e loção para mãos que passageiros levam ao aeroporto. Anteriormente, estes líquidos têm sido confiscados em pontos de checagem de segurança. Agora, serão limitados a tamanhos de 85 gramas e devem caber em um saco plástico de 1 litro. As sacolas serão filtradas e devolvidas se aceitas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.