EFE
EFE

EUA ainda espionam líderes de Brasil e México, diz 'NYT'

Chanceler alemã, Angela Merkel, foi retirada do programa de vigilância americano, mas Dilma Rousseff e Peña Nieto continuam

O Estado de S. Paulo

03 de fevereiro de 2015 | 21h29

NOVA YORK - Em artigo publicado ontem pelo New York Times, o colunista David E. Sanger indica que os presidentes do Brasil, Dilma Rousseff, e México, Enrique Peña Nieto, continuam sob vigilância dos Estados Unidos, enquanto a chanceler alemã, Angela Merkel, e outros líderes foram tirados do alcance das escutas americanas.

Sanger fala sobre mudanças no programa de espionagem dos EUA, após denúncias feitas em 2013 pelo ex-prestador de serviços da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) Edward Snowden.

Pelas novas regras, informações sobre americanos sem propósito de inteligência devem ser eliminadas imediatamente. Informações sobre estrangeiros têm prazo de cinco anos para desaparecerem.

Segundo Sanger, “parece que os programas (de espionagem) no México e Brasil continuam, enquanto vários outros líderes foram removidos”. 

Tudo o que sabemos sobre:
BrasilMéxicoNew York Times

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.