EUA ainda estudam se usarão força militar na Síria

O secretário de Defesa dos EUA, Chuck Hagel, disse neste domingo que o governo Barack Obama ainda está avaliando se usará força militar na Síria, em resposta ao suposto ataque com armas químicas.

Agência Estado

25 de agosto de 2013 | 10h03

Falando a repórteres em Kuala Lumpur, capital da Malásia, Hagel se recusou a dizer quais medidas os EUA poderiam tomar. Ele disse que o governo está considerando muitos fatores, o que inclui uma avaliação da inteligência sobre o ataque na Síria, assim como o que ele chamou de questões legais e relacionadas ao apoio internacional para qualquer resposta militar.

Hagel está na Malásia para iniciar uma semana de turismo da Ásia, mas permanece em contato com Washington sobre a evolução dos acontecimentos na Síria.

Oficiais da inteligência dos Estados Unidos buscaram determinar ontem se o governo da Síria lançou um ataque de armas químicas letais em seu povo. Ao mesmo tempo, o governo de Barack Obama prepara uma possível resposta militar, deslocando suas forças navais para mais perto do território sírio.

Em reunião sobre o assunto realizada neste sábado com sua equipe de segurança nacional, Obama recebeu uma revisão detalhada das opções de resposta que ele solicitou aos EUA e seus parceiros internacionais, caso o processo de inquérito conclua que o presidente sírio Bashar Assad está envolvido em uma guerra química mortal, informou a Casa Branca.

Ao mesmo tempo, Obama salientou que uma intervenção rápida na guerra civil síria era problemática por causa das considerações internacionais que precederiam um ataque militar. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaarmas químicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.