EUA ainda mantêm adolescentes detidos em Guantánamo

Adolescentes continuam presos na Base Naval dos Estados Unidos em Guantánamo, apesar de três garotos considerados suspeitos de terrorismo terem sido libertados durante a semana, admitiram autoridades americanas nesta sexta-feira. O grupo Human Rights Watch denunciou que os EUA violam um tratado internacional que obriga a reabilitação de crianças transformadas em soldados.Ontem, os EUA libertaram três garotos com idade aproximada entre 13 e 15 anos. Hoje, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha informou que seus agentes ajudaram os três a reencontrarem seus parentes no Afeganistão. A Cruz Vermelha e o Unicef trabalharão em conjunto para que os adolescentes sejam reintegrados à sociedade.Apesar da libertação, "ainda há menores de 18 anos em Guantánamo", uma base naval mantida pelos EUA em Cuba, denunciou Amanda Williamson, porta-voz da Cruz vermelha em Washington. Por sua vez, o Departamento de Defesa dos EUA confirmou que um número não especificado de adolescentes com idade entre 16 e 17 anos continua na prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.