Cho Sung-Bong/Efe
Cho Sung-Bong/Efe

EUA ameaçam Coreia do Norte com guarda-chuva nuclear

Em visita à Seul, secretário de Defesa diz que país comunista ainda é uma ameaça a estabilidade regional

AP e Efe,

22 de outubro de 2009 | 07h51

O secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates, disse nesta quinta-feira, 22, que Washington fornecerá todo auxílio militar necessário para proteger a Coreia do Sul da ameaça nuclear norte-coreana. O chefe do Pentágono afirmou ainda que Pyongyang continua a representar uma ameaça a paz mundial.  

Veja também:

especialEspecial: As origens do impasse norte-coreano

especialEspecial: As armas e ambições das potências nucleares

especialLinha do tempo da ameaça nuclear norte-coreana

lista Conheça o arsenal de mísseis norte-coreano

"Os EUA continuarão a fornecer toda sua capacidade militar, incluindo o uso de um guarda-chuva nuclear para garantir a segurança da Coreia do Sul", disse Gates após uma reunião com seu colega sul-coreano, Kim Tae-young.

A Coreia do Norte sustenta que a presença de um guarda-chuva nuclear americano no país vizinho é um ato hostil e uma tentativa de atacar o país.

"Além da ameaça com armas tradicionais, os mísseis e o desenvolvimento de armas nucleares na Coreia do Norte têm provocado uma desestabilização da região", disse Gates.

A declaração americana vem a público após meses de tensão sobre o programa nuclear norte-coreano. Recentemente, o ditador Kim Jong-il sinalizou que o país pode voltar a mesa de negociação dependendo do status das conversas com os EUA. O negociador número 2 do programa nuclear, Ri Gun, deve ir aos EUA na semana que vem.

A Coreia do Sul afirma que, apesar dos recentes avanços, a ameaça nuclear continua intacta. "Há alguns sinais de mudança, mas suas diretrizes continuam as mesmas", disse o ministro da defesa. Kim Tae-young.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.